Mergulho

Idiomas

Portuguese English French German Italian Japanese Polish Romanian Spanish
Open Translate

SITE POUSADA VILLA NINA – MERGULHO

 

 

MERGULHO EM NAUFRÁGIOS

Fonte: Reginaldo Pupo

 

 

Naufrágios são parte da história de Ilhabela

 

Estrategicamente posicionada em meio às rotas de comércio entre a África e a

Europa e a América do Sul, Ilhabela assistiu o intenso tráfego marítimo ocorrido ao

longo da costa brasileira. Os navios que passaram por essa região eram inicialmente

oriundos de comitivas de exploração do novo continente, muitos deles eram

corsários que buscavam riquezas nos mares do sul interpelando embarcações

espanholas carregadas de tesouros retirados do Novo Mundo.

Com o passar do tempo as embarcações passaram a transportar os novos habitantes

do continente recém-descoberto, e que viriam a formar a miscigenada população

latino-americana. Além de pessoas, mercadorias e produtos eram trazidos do velho

continente, e daqui levados para abastecer o mercado europeu.

Contudo, devido à uma série de fatores relacionados, tais como condições

geográficas e geológicas do arquipélago, repentinas mudanças climáticas quando

da entrada de frentes frias vindas do sul que alteram ventos e correntes marítimas,

bem como a ausência de sinalização das rochas no leito do mar, contribuíram para

que essa porção do litoral paulista fosse palco de inúmeros naufrágios ao longo da

história da navegação.

 

O naufrágio mais antigo

E o antigo naufrágio de Ilhabela foi localizado em 2011 na Praia de Castelhanos pela

arqueóloga Cintia Bendazzoli, que coordena o Projeto de Gestão e Diagnóstico do

Patrimônio Arqueológico de Ilhabela.

A nau somente pôde ser localizada após um intenso período de chuvas no feriado de

Páscoa, que desenterrou das areias da praia a carcaça da embarcação. Construída

com Pinho de Riga, madeira originária da Eurásia, o barco tem grande quantidade de

cavilhas e arremate com cravos de ferro.

As pesquisas realizadas na nau apontam que esta é possivelmente originária do

norte da Europa (Holanda, Inglaterra) e a datação feita em um laboratório em

Miami, EUA, apontou ser a mais antiga embarcação já encontrada naquele litoral,

datada de 1840 (170±30 A.P).

 

Alguns naufrágios de Ilhabela:

 

AYMORÉ – Cargueiro que transportava cartuchos de munição naufragou em

1920 durante uma tempestade. Está a uma distância da costa de 30 metros em

profundidade de 5 a 9 metros.

 

ROSS – Veleiro de três mastros carregava farinha de trigo quando foi a pique em

1942 em maio a um temporal. Está localizado a uma distância de 1,5 milhas da costa

em profundidade de 40 metros.

 

VELÁSQUEZ - Este vapor inglês com mais de 150 metros de comprimento chocou-
se conta a Ponta da Sela em 1908. Carregava café e malas postais. Encontra-se a 50

metros da costa, entre 06 e 22 metros de profundidade.

CREST – Trata-se de outro navio cargueiro cheio de café e sacarias que naufragou

em 1882 durante uma tempestade. Está a uma distância da costa de 30 metros em

profundidade de 9 a 17 metros.

 

DART - Pertencente ao Correio Real Inglês, essa embarcação a vela e a vapor

afundou devido a um erro de navegação na Ponta de Sepituba, em 1884. Encontra-
se a 40 metros de distância da costa, a uma profundidade de 6 a 20 metros.

 

FRANCE – Este paquete misto, com carga desconhecida, afundou em 1906 devido ao

mau tempo. Está localizado a uma distância de 200m da costa em profundidade de

40 a 60 metros.

 

HATHOR – Esse cargueiro que transportava café, sacarias diversas e malas postais

afundou em 1909 durante um temporal. Está a uma distância da costa de 40 metros

em profundidade de 8 a 19 metros.

 

PRÍNCIPE DAS ASTÚRIAS – O luxuoso transatlântico inglês, construído pelo

mesmo estaleiro que fez o Titanic, naufragou na madrugada de 6 de março de

1916 chocando-se contra a Ponta da Pirabura em meio a uma tempestade. Dos

611 passageiros, apenas 164 sobreviveram. Está a 100 metros da costa, a uma

profundidade de 18 a 45 metros.

 

SÃO JANECO – Esse cargueiro afundou em 1920 devido a um erro de navegação. Sua

carga é desconhecida. Dista da costa 20 m em profundidade de 5 a 12 metros.

 

THERESINA – Cargueiro transportava café, sacarias diversas e malas postais. A

embarcação foi a pique em 1919, a nordeste de Borrifos. Está a 100 metros da costa,

numa profundidade de 08 a 17 metros.

Fonte: portal www.ilhabela.sp.gov.br