Trilhas

Idiomas

Portuguese English French German Italian Japanese Polish Romanian Spanish
Open Translate

SITE POUSADA VILLA NINA – TRILHAS

 

DICAS PARA FAZER UMA TRILHA

ESTRADA PARQUE DOS CASTELHANOS

PICO DO BAEPI

TRILHA DA CACHOEIRA DA PANCADA D' ÁGUA

TRILHA SEPITUBA - BONETE

 

 

 

 

DICAS PARA FAZER UMA TRILHA

PRÁTICAS DE MÍNIMO IMPACTO

Garanta sua segurança e ajude a conservar a natureza seguindo os oito princípios.

 

 

1. Planejamento é Fundamental

- Entre em contato com a administração do parque para saber todos os requisitos e regulamentos para realizar a trilha.

- Informe-se sobre as condições climáticas do local.

- Procure viajar em pequenos grupos.

- Escolha as atividades de acordo com seu condicionamento físico e seu nível de experiência. Tenha claro que os ambientes naturais oferecem condições não controladas e são dinâmicos podendo oferecer dificuldades e riscos pouco comuns para pessoas pouco preparadas.

- Caso você não tenha experiência, não se arrisque. Entre em contato com empresas de ecoturismo da região e monitores ambientais.

 

 

2. Você é responsável por sua segurança

- O resgate em ambientes naturais é complexo e frequentemente os serviços médicos estão distantes, mantenha as informações médicas de cada integrante do grupo sempre à disposição.

- Em caso de necessidade entre em contato com um funcionário do parque, informe-se se há sinal de celular na trilha, grave o número telefônico que os funcionários do parque fornecer.

- Aprenda as técnicas básicas de segurança, como primeiros socorros e orientação.

- Acidentes e agressões à natureza são causados por improvisações, negligência e uso inadequado de equipamentos.

Tenha equipamento apropriado para cada situação e saiba utiliza-lo corretamente.

- Leve os itens essenciais: lanterna, agasalho, capa de chuva, chapéu, um estojo de primeiros socorros, alimento, água, repelente e filtro solar.

 

3. Cuide dos locais por onde passa

- Mantenha-se nas trilhas pré-determinadas. Não utilize atalhos, pois estes favorecem a erosão e a destruição da vegetação.

- Ao percorrer uma trilha certifique-se que esses locais permaneceram como se ninguém houvesse passado por ali.

 

4. Traga seu lixo de volta

- Se você pode levar uma embalagem cheia pode trazê-la vazia na volta.

- Não enterre o lixo. Animais podem cavar e espalhá-lo.

- Utilize as instalações sanitárias existentes. Caso a área não disponha, cave um pequeno buraco com quinze centímetros de profundidade longe de qualquer fonte de água, ou áreas de circulação.

- Traga restos de alimentos, papeis e outros materiais higiênicos de volta.

- Não use sabão de nenhum tipo nos rios e fontes de água.

 

5. Deixe tudo em seu lugar

- Resista à tentação de levar “lembranças” para casa.

- Deixe pedras, artefatos, flores, frutos, conchas etc. onde você os encontrou.

- Tire apenas fotografias.

- Deixe suas pegadas e leve apenas suas memórias.

 

6. Não faça fogueiras

- Fogueiras matam o solo e a vegetação. Representam um grande risco de incêndios florestais.

 

7. Respeite os animais e as plantas

- Observe os animais à distância e não tente espanta-los ou pega-los. A proximidade pode ser interpretada como uma ameaça, provocando grande estresse.

- Não alimente animais selvagens.

- Não retire flores e plantas silvestres. Aprecie sua beleza no local, sem agredir a natureza e dando a mesma oportunidade a outros visitantes.

 

8. Seja cortês com outros visitantes e com a população local

- Caminhe em silêncio, preservando a tranquilidade e a sensação de harmonia com a natureza.

- Trate os moradores da área com cortesia e respeito. Seja educado e comporte-se com cuidado para não ofende-los. Aproveite para aprender algo sobre os hábitos e a cultura locais.

- Prefira contratar os serviços locais de hospedagem, monitoria, transporte e outros serviços. Desse modo, você estará colaborando para que os recursos financeiros permaneçam na comunidade.

- Deixe os animais de estimação em casa.

- Prefira roupas e equipamentos de cores suaves ou neutras.

Texto baseado no Programa “Pega Leve” – Mínimo Impacto em Ambientes Naturais.

 

 

 

 

ESTRADA PARQUE DOS CASTELHANOS

 

 

Foto: Reginaldo Pupo

 

Percurso (ida e volta): 34 km

Nível: alto

Atrativos: Mata Atlântica, mirante dos Castelhanos, praia dos Castelhanos

A praia é habitada por uma comunidade tradicional caiçara

A Estrada Parque dos Castelhanos liga a zona urbana de Ilhabela com a comunidade da praia dos Castelhanos. São 17 Km de terra no interior do Parque Estadual, que cruzam alguns dos pontos de maior fragilidade ambiental e biodiversidade da Ilha.

A estrada passa pelo interior da Mata Atlântica e por um mirante com vista para a baía. Pode ser feita a pé, de bicicleta, a cavalo ou em veículo. Para melhor desfrutar do passeio a Castelhanos, evite a alta temporada em que o tempo é muito chuvoso e as taxas de visitação são altas.

Ao visitar as comunidades da baía dos Castelhanos seja responsável e respeite os moradores locais. O ecoturismo deve gerar benefícios para o turista e também para aqueles que o recebem!

Informe-se sobre a operação da Estrada Parque dos Castelhanos antes de planejar sua visita, no Parque Estadual de Ilhabela.

 http://www.fflorestal.sp.gov.br/hotsites/hotsite/index.php?hotsite=84947947a17294921e3e240bfbdd9c7f

 

 

Serviço:

Horário de funcionamento para todas as trilhas: domingo a domingo das 8h às 17h

Nas trilhas do Parque Estadual é permitido apenas:

- Caminhar, fotografar, observar a fauna, a flora e a paisagem

- Em caso de dúvida sobre a prática de outras atividades, entre em contato com o Parque Estadual.

Parque Estadual de Ilhabela: (12) 3896 2660 / 3896 2585

 

PICO DO BAEPI

Foto: Ronald Kraag

 

Percurso (ida e volta): 7.4 km

Nível: alto

Atrativos: Mata Atlântica, vista panorâmica, pico de 1.048 metros de altitude

É necessário o acompanhamento de monitor ambiental credenciado* e não é possível realizar a visita em dias de chuva ou chuva de véspera.

A trilha do Pico do Baepi, no interior do Parque Estadual de Ilhabela, é uma das mais procuradas por ecoturistas que gostam de caminhadas mais desafiadoras. Antes do primeiro quilômetro, a trilha possui um belo mirante com vista panorâmica do Canal, de onde se avista o Parque Estadual da Serra do Mar, os municípios de Ilhabela, São Sebastião e Caraguatatuba, além de Ilhas como as do Arquipélago dos Alcatrazes, protegidas pela Estação Ecológica Tupinambás.

A caminhada inicia em área aberta e logo adentra na Mata Atlântica. A flora e a fauna vão mudando conforme a altitude e o clima do ambiente, até chegar ao pico, com 1.048 metros de altitude e uma vista 360 graus da Ilha.

A trilha do Baepi atravessa uma área de grande importância para a conservação pois ali vivem espécies raras e frágeis! Ajude a preservá-la durante sua visita praticando os princípios do mínimo impacto.

Esta trilha integra o passaporte Trilhas de São Paulo. Para maiores informações, entre em contato com o Parque Estadual de Ilhabela

http://www.fflorestal.sp.gov.br/hotsites/hotsite/index.php?hotsite=84947947a17294921e3e240bfbdd9c7f

 

Serviço:

Horário de funcionamento para todas as trilhas: domingo a domingo das 8h às 17h

Nas trilhas do Parque Estadual é permitido apenas:

- Caminhar, fotografar, observar a fauna, a flora e a paisagem

- Em caso de dúvida sobre a prática de outras atividades, entre em contato com o Parque Estadual.

Parque Estadual de Ilhabela: (12) 3896 2660 / 3896 2585

 

TRILHA DA CACHOEIRA DA PANCADA D' ÁGUA

Foto: Ronald Kraag

 

Percurso (ida e volta): 720 metros

Nível: baixo

Atrativos: Mata Atlântica, 3 quedas d’água

É a trilha mais curta e acessível aberta à visitação.

A trilha da Cachoeira da Pancada d´Água é de acesso fácil, pode-se chegar de carro a poucos metros da primeira queda. Fica próxima à Praia da Feiticeira, no sul da Ilha e é chamada de três tombos pois são três as quedas d´água que formam o complexo.

Ideal para quem quer caminhar pouco, tomar um banho rápido e mesmo assim ter experiência de caminhar em meio à Mata Atlântica preservada.

A região tem grande quantidade e diversidade de aves, para observá-las, procure realizar seu passeio em momentos menos visitados.

 

Serviço:

Horário de funcionamento para todas as trilhas: domingo a domingo das 8h às 17h

Nas trilhas do Parque Estadual é permitido apenas:

- Caminhar, fotografar, observar a fauna, a flora e a paisagem

- Em caso de dúvida sobre a prática de outras atividades, entre em contato com o Parque Estadual

http://www.fflorestal.sp.gov.br/hotsites/hotsite/index.php?hotsite=84947947a17294921e3e240bfbdd9c7f.

Parque Estadual de Ilhabela: (12) 3896 2660 / 3896 2585

 

TRILHA SEPITUBA - BONETE

Foto: Ronald Kraag

 

Percurso (ida e volta): 23.4 km

Nível: alto

Atrativos: Mata Atlântica, cachoeira da laje, mirante do Bonete, praia do Bonete

 

A praia é habitada por uma comunidade tradicional caiçara

É recomendado o acompanhamento de monitor ambiental credenciado* e não é recomendada a visita em dias de chuva ou chuva de véspera.

A trilha do Bonete é a mais longa de todas as trilhas do PEIb, com 12Km só de ida (o percurso dura de 3:30h à 6:00h, dependendo do ritmo de caminhada, podendo durar mais se o visitante estiver carregando muito peso).

A empreitada requer um possível pernoite na comunidade do Bonete (há acomodações). O visitante deve estar preparado fisicamente, e preferencialmente acompanhado por um monitor ambiental.

Localizada no extremo sul da Ilha, a trilha do Bonete inicia na ponte da Sepituba (onde há um estacionamento) e passa por uma das áreas de Mata Atlântica mais preservada e durante o caminho é possível observar diversas espécies de flora e fauna. Passa por belos rios e oferece bons banhos em piscinas naturais e quedas d´água (como a Cachoeira da Laje).

A trilha é utilizada pela comunidade tradicional do Bonete, já que, além do mar, é o único acesso à zona urbana da Ilha. A comunidade do Bonete possui cerca de 70 famílias caiçaras, que preservam a riqueza de sua cultura tradicional. A praia de areias claras e boas ondas para a prática do surfe é ideal para quem quer tranquilidade, contato com a natureza e com a cultura local.

Ao visitar a comunidade do Bonete seja responsável e respeite os moradores locais. O ecoturismo deve gerar benefícios para o turista e também para aqueles que o recebem!

Serviço:

Horário de funcionamento para todas as trilhas: domingo a domingo das 8h às 17h

Nas trilhas do Parque Estadual é permitido apenas:

- Caminhar, fotografar, observar a fauna, a flora e a paisagem

- Em caso de dúvida sobre a prática de outras atividades, entre em contato com o Parque Estadual

 http://www.fflorestal.sp.gov.br/hotsites/hotsite/index.php?hotsite=84947947a17294921e3e240bfbdd9c7f.

Parque Estadual de Ilhabela: (12) 3896 2660 / 3896 2585

 

 

 

 

 

Fonte: portal www.ilhabela.sp.gov.br